domingo, 17 de janeiro de 2010

Câmbio, seus Macs e minhas sandálias

Entre uma e outra colherada de arroz com feijão os mestrandos da minha turma trocavam perguntas e questionamentos sobre a vida dos outros. Entre essas questões uma que era debate quente na certa era a sempre clássica questão: qual é a taxa de câmbio de equilíbrio? Confusão na certa e semana toda de debates.

Um desses meus colegas resolveu fazer a dissertação sobre taxa de câmbio ótima. Após alguns bons meses nos reencontramos e eu resolvi fazer a maldita pergunta: Qual é a taxa de câmbio ótima? A resposta veio direta e no fígado: Ótima para quem?

É isso. Economia, uma ciência que não sabe responder a uma questão tão básica. Afinal de contas qual é o preço da moeda? A revista Economist tem uma sugestão também já clássica. Como taxa de câmbio é uma relação entre diferentes moedas, (R$/U$, por exemplo) se tivermos um produto produzido da mesma forma, com a mesma tecnologia e insumos, em todos os países do mundo, então, a relação de preços entre diferentes moedas desse mesmo produto é o câmbio de equilíbrio. O problema passou a achar este produto. Solução: Big Mac

Claro, Big Mac deveria ser Big Mac em qualquer país do mundo. Feito da mesma forma, com a mesma máquia e, pasmem, com os mesmos funcionários robôs. A diferença de preço entre eles deve ser fruto da diferença de produtividade, esquecendo os custos de transação. Aqui você tem uma idéia do que estou falando.

Bem, durante algum tempo pensei em um outro produto que pudesse ser uma alternativa ao Big Mac Index da revista Economist. Hoje estou chutando sobre um produto nacional que talvez possa ter sucesso: as sandálias havalianas. Se elas forem produzidas em diferentes países acredito que teríamos um outro indicador da taxa de câmbio de equilíbrio.

Alguém está a fim de pesquisar?

5 comentários:

  1. Boa idéia Professor! rsrsrs
    Um abração!

    ResponderExcluir
  2. Esse Blog é bom e divertido!

    ResponderExcluir
  3. Oi Carraro,
    tenho outras sugestões de index para o produto brasileiro. Por exemplo, jogador de futebol e mulatas. Certamente a tx de câmbio (R$/U$, por exemplo)ficaria ainda mais valorizada dado o apreço pelo nosso produto lá fora. Mas que nada, seria bom; iríamos contribuir para o aumento da população lá fora e assim poderíamos vender mais comida - arroz e feijão e talvez mais sandálias havaianas.

    ResponderExcluir
  4. Produto Homogêneo Tupiniquim: Livro do Paulo Coelho

    Produmo Homogêneo Não-Tupi: Garrafa Coca-Cola 2l, 600ml ou 1l.

    Possibilidade de Homogêneo: Entrada do Cinema

    ResponderExcluir
  5. Achei a coca-cola uma boa idéia rsrsrsrs!

    ResponderExcluir